domingo, julho 06, 2014

Quando só um tijolo resolve as coisas

Nunca vos apeteceu pegar num tijolo e enfiá-la na cabeça de um miúdo irrequieto? Mais ainda. Nunca vos apeteceu pegar nesse mesmo tijolo e enfiá-lo repetidamente na cabeça dos pais desse miúdo que não se importam minimamente com o que ele está a fazer e com quem ele está a incomodar? A mim já.

Eu sou daqueles que achas que algumas pessoas deviam fazer testes psicotécnicos e assinar uma declaração em que se comprometem a tomar conta dos miúdos quando estão na sua presença. Bem sei o que custa aturar miúdos mais pequenos. Tenho muitos sobrinhos, alguns que cresceram comigo desde pequenos. Sei que muitas crianças são naturalmente irrequietas, e ainda bem que têm essa energia toda já que quando chegarem a velhos não se vão poder mexer. Mas serem irrequietas não tira a responsabilidade dos pais de tomarem conta das mesmas.

Sim, irrita-me quando os miúdos são barulhentos e andam aos saltinhos para trás e para diante em locais de silêncio como biblioteca ou centro de saúde. Irrita-me muito mais  quando os pais não ligam puto aos mesmo. Digo e repito, um tijolo resolve muita coisa.