sábado, outubro 17, 2015

O Tio deve ter cara de tinto

Quem já me conhece, sabe que eu trabalhei num supermercado lá na minha terrinha (quem não sabia, ficou a saber). Agora, que voltei a trabalhar no ramo (ainda que em part-time) relembro todas as coisas que já pensava esquecidas. O repor, o dar o troco, o susto que dou aos homens depois de repararem que não sou uma mulher apesar do cabelo comprido, etc.


Reforçando um último ponto, todo o cliente merece uma opinião sobre o produto, mas todo o cliente também tem de compreender que eu, como empregado, não vou saber o odor que a pota deita quando está na panela ou a que sabe aquela croquete para gato. Mais ainda, apesar de o estabelecimento ter uma boa selecção alcoólica, eu não a mínima ideia de aqueles vinhos e cervejas são realmente bons.

Daí, eu peço encarecidamente que quando me vêm perguntar "Olhe, este vinho é bom?", não fiquem com cara de magoados quando eu respondo "Não sei. Não bebo.". Eu bem sei o quão recheado de tinto o estabelecimento está, mas se eu tivesse experimentado todos aqueles vinhos, eu não estava a trabalhar neste momento. Estava com uma cirrose tamanha que nunca mais saia do sítio.


De novo, não se chateiem comigo por não saber se a cerveja rasca é alguma coisa de jeito. Não fiquem zangados por não saber onde aquele vinho foi produzido sem ir ler ao rótulo. Acreditem quando eu digo que não sei nada sobre os produtos vendidos naquele estaminé. Afinal, eu nem sequer faço as minhas compras lá.


6 comentários:

esperto que nem um alho disse...

Ahahah, era o cúmulo se no currículo de um candidato a repositor ou caixa de supermercado, tivesse que constar um estágio numa adega de Gaia, ou na Unicer.
Já agora, podiam exigir também uma especialização em "tomates" e "grelos". ahahahah

Ricardo M.B.B. disse...

Adora, pelo menos uma vez na vida, de trabalhar, nem que fosse um dia, numa caixa de supermercado. Sempre adorei os pis quando os produtos passam, a vontade de ficar a passar produtos, que não deve ser muita, mas que me contagia incrivelmente. A minha "irmã" também trabalha num supermercado, só que na parte do restaurante, logo não está na caixa. Mas em relação aos vinhos...vinho é horrível. Se me perguntarem algum recomendo o do Porto que é o único aceitável...o resto não, sabe mal.

*Nightwish* disse...

Vais sair daí com um curso qualquer por equivalência de enologia, tipo Relvas.
Não te esqueças de trazer um bom branco para temperar o assado xD
****

Femme Trivial disse...

Mas os clientes nunca entenderam isso... querem tudo! Trabalhar no atendimento ao público é péssimo! (eu bem sei)

nans. disse...

Falando por experiência, pergunta apenas se querem um vinho caro ou barato e depois espeta-lhes com qualquer coisa consoante a resposta. Se for um enologo é lixado, mas se for uma pessoa que apenas gosta de beber o seu copito aqui e ali nem nota a diferença.

Sandra Black disse...

Os clientes às vezes não têm bem noção das coisas parvas que perguntam.
A mim, que trabalho numa loja de cosmética, vieram-me perguntar se achava que um determinado creme de barbear deixava uma sensação agradável na pele. Ao que respondi que, como podia imaginar, não lhe podia dar uma opinião pessoal uma vez que não faço a barba.