segunda-feira, novembro 23, 2015

Quando o tio vai à Invicta

Bem sei que tenho andado um pouco afastado do blog, mas é por uma boa razão. Trabalho agora a tempo inteiro e, tendo em conta o tipo de trabalho, acreditem que chego a casa cansado e com a simples vontade de me deitar. Nem sequer as folgas ajudam a descansar decentemente.

Utilizei uma dessas mesma folgas para dar um saltinho ao Porto. Não fui em passeio, mas acabei em passeio. Fui entregar o meu bilhete da Comic Con Portugal 2015 a quem mo comprou (e desde já obrigado). Àqueles que ficaram contentes a pensar que eu já não vou, lamento desiludir. Eu vou na mesma. Katachau!


De qualquer maneira, depois desta entrega feita e de uma hora de paleio, lá fiquei eu sozinho... sem nada para fazer. Ainda estava com esperanças que a minha menina conseguisse sair cedo do ofício... mas nada feito. Lá fiquei eu sozinho para ir à Porto Book Stock Fair 2015.

A feira acima referida é baseada na venda dos stocks das livrarias. Livros que ficaram parados por um infinito de razões, mas que na minha opinião é porque simplesmente não vendem. Patrocinada pela Calendário de Letras, admito que aquilo ocupava todo o espaço do Pavilhão Rosa Mota (Palácio de Cristal).






No entanto, após lá chegar, ver todas as bancas e apenas achar dois livros que me interessavam, cheguei à seguinte conclusão. Todos os livros expostos não venderam porque, na verdade, não há interesse neles. Claro que eu tenho os meus gostos e isso influencia imenso o que eu acho interessante. Claro que a impressão que as bancas só estavam a ser colocadas com intenção de mostrar para o fim de semana (sim, porque ninguém compra livros à semana) e também que todas as bancas pertenciam ao stock da Calendário de Letras não ajudou muito. Lá encontrei dois livros da Argonauta (O Dragão Branco 1 e 2) e me vim embora, deveras desiludido. No ano passado, vieram muitos mais livros e mais variados.


Como sai de lá mais cedo que o que esperava, lá dei um passeio pela cidade. Essencialmente só andei e, depois de todo o andar, decidi almoçar num restaurante gourmet (que agora não me lembro do nome mas fica à beira dos Clérigos). Decidi comer lá porque o menu era o mais barato e eu queria-me sentar a comer sem ter trolhas a estupidificar o ambiente. Uma sopinha, um frango à Sto. António que me deixou os lábios a arder, e lá vim eu para casa.

E vocês, o que fizeram na vossa folga/dia livre.

PS. Ter folgas à segunda feira e só saber que as temos no dia anterior não dá muito para organizar seja o que for.

3 comentários:

C. disse...

glad you enjoyed it :)

Ricardo M.B.B. disse...

Adorava ir ao norte, mais uma vez. Incrivelmente nunca fui ao Porto, nem a Braga, nem a muitos sítios aí no norte. O máximo que fui, foi ao Minho, a Aveiro e talvez ao Gerês...se é que o Gerês fica no Norte...sou um bocado mau com geografia, sry ^^

r.: Sim, acho que o facto de não andar a dormir é mesmo por causa de preocupações. Agora tenho andado um pouco melhor, mas se me meto a pensar enquanto tento dormir, lá se vai a soneca.

*Nightwish* disse...

Gostava de ter ido... mas já sabes como é. A última feira do género foi sem dúvida bem melhor!! Uma pena...
Qualquer dia tens que me levar a esse restaurante ^^ Levamos uns pikicakes na mochila, para a sobremesa =P
****